Comerciantes ocupam calçadas após incêndio em shopping popular de Campina Grande

Comerciantes ocupam calçadas após incêndio em shopping popular de Campina Grande

Comércio ocupou espaço de pedestres após interdição do shopping popular

As calçadas do shopping popular de Campina Grande são o novo ponto comercial  dos ambulantes no Centro da cidade, após o incêndio que gerou a interdição do prédio no último domingo (9). Uma reunião na tarde de quinta-feira (13) determinou a realização de uma última fiscalização conjunta de técnicos da prefeitura, bombeiros e Ministério Público para a liberação do centro comercial já a partir da segunda-feira (17).

Mais de 300 comerciantes trabalham no prédio. A prefeitura terá ainda 15 dias para elaborar um plano de segurança e mais 15 dias para iniciar a reforma do shopping popular, segundo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado na terça-feira (11) com a Promotoria do Consumidor. Se o acordo não for cumprido, pode ser cobrada uma multa de R$ 100 mil.

O incêndio destruiu pelo menos 15 lojas no primeiro andar do prédio e, de acordo com o Instituto de Previdência do Servidor Municipal (Ipsem), responsável pelo gerenciamento do local, todo o shopping retomará o funcionamento normal, com obstrução apenas da área mais prejudicada que ficará em reforma.

A Prefeitura de Campina Grande informou que uma linha de financiamento através da Agência Municipal de Desenvolvimento Econômico (AMDE) será aberta para minimizar os prejuízos dos comerciantes.

“Desde domingo estamos fazendo o levantamento, queremos ser solidários aos comerciantes com a reparação da estrutura e dos prejuízos. A prefeitura vai se responsabilizar pela reforma dos boxes e vamos revitalizar o espaço. Vamos disponibilizar uma linha de financiamento de crédito pela AMDE, com prazo elástico para iniciar o pagamento da dívida daqui a um ano. Queremos devolver aquele espaço da melhor forma possível para aqueles comerciantes”, disse o prefeito Romero Rodrigues.

“Nesta sexta-feira (14), serão feitos testes com os técnicos da Secretaria de Obras, Ministério Público e bombeiros. Resolvemos alguns problemas e restauramos circuitos para não dar sobrecarga no sistema, sob a condição de cumprir as delimitações e proibições estabelecidas no regimento interno do shopping popular – limites de corredores, amostragem de roupas, fim das “gambiarras”, dentre outros”, explicou o presidente do IPSEM, Antônio Hermano Oliveira.

Segundo o IPSEM, os medidores de energia elétrica serão individualizados, o prédio está passando por limpeza, pintura e será reformado por partes. O funcionamento deverá ser pleno a partir da próxima semana, à exceção do local onde se iniciou o fogo e onde houve destruição de boxes, em que serão colocados tapumes para reforma.

G1/PB

Foto: G1/PB

Anúncios