Couto lamenta morte de Júlio e destaca como legado a “facilidade de conviver com o contraditório”

 

“Defensor intransigente da democracia e mestre na hora de expor seus pensamentos”. Esta foi a frase encontrada pelo deputado federal Luiz Couto (PT) para definir o seu companheiro de partido e amigo – Júlio Rafael, superintendente do Sebrae na Paraíba, que teve morte confirmada nessa quarta-feira (5) pelo Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Para Luiz Couto, Júlio tinha uma facilidade extraordinária de conviver com o contraditório e uma capacidade de argumento admirada até pelos adversários. “Estes legados deixados por ele certamente vão fazer falta no cenário político paraibano e, principalmente, nos debates internos do PT”, acrescentou.

Couto lamentou a perda e expressou solidariedade à família de Júlio Rafael, na pessoa da professora Adelaide (esposa). Disse que estará orando para que “o nosso Deus console e fortaleça a todos”.

Histórico

Júlio Rafael tinha 59 anos e nasceu em Campina Grande. Era formado em economia pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e especialista em história econômica da América Latina. Exerceu o cargo de gerente de Planejamento da Agência de Desenvolvimento do Nordeste (Adene), entre dezembro de 2003 e dezembro de 2006; assessor de Planejamento Orçamentário da Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa (janeiro de 2001 a novembro de 2003); além de vereador na Capital (janeiro de 1997 a dezembro de 2000).

Foi eleito superintendente do Sebrae (PB) em 2007 para um mandato de dois anos e reeleito para o biênio 2009-2010. Houve ampliação dos mandatos do sistema Sebrae para quatro anos e ele se candidatou novamente, se elegendo para o quadriênio de 2011-2014.

Ascom Dep. Luiz Couto

Anúncios