Expulsão do vereador Bira pelo PSB fica para janeiro de 2013

Expulsão do vereador Bira pelo PSB fica para janeiro de 2013

Em processo intra-partidário de expulsão do partido por infidelidade partidária, o vereador reeleito Bira (PSB) deve tomar posse no próximo dia 1º de janeiro sem nenhum entrave. O presidente municipal do PSB, Ronaldo Barbosa, que havia anunciado que o “presente” de Natal do vereador Bira seria a expulsão do partido, ontem voltou atrás e jogou a responsabilidade para o diretório estadual. “Sobre o assunto quem responde é o presidente Edvaldo Rosas. Eu disse que ele seria expulso e vai. Se não for este ano, será em data muito próxima”, afirmou.

O presidente estadual do PSB, suplente de deputado federal Edvaldo Rosas (PSB), disse que a decisão quanto à expulsão do vereador Bira deverá ser anunciada apenas em janeiro com data indefinida. “É um processo naturalmente lento. Ouvimos todas as testemunhas, tanto de defesa quanto de acusação. O Conselho de Ética vai se reunir no começo de janeiro e os seus membros vão aprovar a indicação da expulsão, com base no relatório do conselho”, comentou.

O vereador Bira disse que continua sem receber nenhuma informação sobre o processo de sua expulsão do partido. “Sei através da imprensa da tramitação, mas nunca me notificaram ou informaram de nada. Se há parecer concluso e pronto para decidir sobre minha expulsão, ainda não fui informado”, disse.

Sobre os demais filiados que não seguiram a decisão de apoiar a candidatura de Estela Bezerra (PSB) a prefeita de João Pessoa, o processo de afastamento deverá ser mais simplificado, segundo Rosas. “Quanto aos demais filiados que não seguiram a indicação do partido, vamos fazer um recadastramento e nesse processo vamos fazer a desfiliação dessas pessoas do partido”, disse.

Segundo ele, o PSB pretende ampliar seus quadros, mas mantendo filiados que acompanhem as determinações do partido. “Queremos ampliar nossos quadros nas eleições de 2014. Já temos diretórios em 220 municípios. Faltam só três e queremos expandir, mas o partido não coloca camisa de força em ninguém, nem força ninguém para ficar em partido nenhum.

Esses dissidentes não consideramos do partido. Ele pode estar do ponto de vista burocrático, mas não do ponto de vista do nosso projeto político”, ponderou.

Já de olho em 2014, Edvaldo Rosas antecipou que será novamente candidato a deputado federal pelo PSB. “É importante o partido ter um deputado em Brasília para servir ao governo do Estado”, disse.

Jornal da Paraíba 

Anúncios