Joaquim Barbosa diz que não é herói, é apenas um “barnabé”

Ministro Joaquim Barbosa, relator do mensalão

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, até já virou notícia por causa de suas ausências no local de trabalho, o que acarretou demora no julgamento de ações importantes. Chegou-se até a duvidar que seu atestado médico que o afastou durante semanas do STF por problemas graves na coluna não fosse assim tão legítimo, é que enquanto estava de atestado, Barbosa foi flagrado tomando um chopinho com amigos.
Mas, tudo isso é passado. Desde que proferiu seu voto, como relator no processo que julga os réus do mensalão, propondo a condenação de todos os acusados, Barbosa virou uma espécie de herói do povo brasileiro, tão carente de bons exemplos.
Nas redes sociais, especialmente no facebook, Barbosa aparece numa foto que foi compartilhada milhares de vezes, de costas, com a toga esvoaçando e se assemelhando à capa do super herói dos quadrinho, Batman.
Frases como “Batman é para os fracos, meu super herói é negão” ilustram a fotografia emblemática de Barbosa. É como se ele tivesse virado, de repente, a última reserva moral do Brasil.
Nesta semana, quando deixava o STF, Barbosa teve a noção do tipo de sentimento que vem provocando nas pessoas. Dezenas de pessoas aguardam sua saída para vê-lo de perto e, numa dessas saídas, duas mulheres o abordou e o ovacionou com gritos de “nosso herói”.

Com seu jeito sério de encarar tudo, Barbosa olhou para as mulheres e disse: “Que isso, gente, sou só o barnabé do processo”. O termo se refere à pessoa simples. Dentro do serviço público em Brasília é usado de maneira pejorativa para designar os servidores de nível inferior.

Na próxima segunda-feira (3), Barbosa entra em cena novamente com a leitura de seu voto sobre a parte da denúncia que trata de gestão fraudulenta e envolve quatro réus ligados ao Banco Rural. A tendência é que ele vote pela condenação da dona do Banco Rural, Kátia Rabello; do ex-vice-presidente da instituição, João Roberto Salgado; do vice-presidente Vinícius Samarane; e da ex-vice-presidente Ayanna Tenório.

PORTAL CORREIO

Anúncios